READING

Sabedoria sobre a cura dos vícios

Sabedoria sobre a cura dos vícios

Sri Prem Baba fala sobre a experiência de buscar a cura dos vícios, suas motivações iniciais e os caminhos para a aceitação e a consequente vitória.

Sobre a cura dos vícios Sri Prem Baba fala:

“Eu lhe pergunto: quem é você? Quem está conduzindo este veículo chamado corpo? Você se sente na condução do seu veículo?
Recebo muitas perguntas sobre o tema dos vícios, sejam eles em drogas, pornografia, jogos de computador e até mesmo café ou chocolate. Uma dependência daquilo que eu chamo de amortecedores para que a pessoa se sinta melhor, para que ela deixe de sentir a dor e o incomodo causados por choques, geralmente vividos na infância, e que não foram devidamente elaborados e integrados no sistema.
O que acontece nesses casos de dependência é que o veículo, o corpo, está sendo conduzido por impulsos inconscientes. A presença é a luz que dissolve a escuridão, mas como a pessoa está ausente, seu veículo acaba sendo conduzido por esses impulsos que são, em última instância, pensamentos.

E o que são esses pensamentos?
“Podemos perguntar: seria possível educar esse eu inferior ou ensiná-lo a se mover em direção à luz? Porque se ele é escuridão e a luz dissolve a escuridão, a reeducação do eu inferior seria colocá-lo no caminho da sua própria dissolução.”

Para entender a origem, em busca da cura dos vícios

Em algum momento, você foi levado a se identificar com uma ideia de “eu”, com uma identidade sustentada por um sistema de crenças, que são informações que vieram de fora. Você foi levado a acreditar que é essa identidade, esse nome, essa personagem que foi machucada na vida e que, por sua vez, aprendeu a amortecer a dor através de diferentes vícios – um “eu” que aprendeu a se amortecer através dos pensamentos.
Acontece que quando tais pensamentos passam através de você, fazem com que seu desejo por algum amortecedor seja acionado e que você mova energia para alimentar essa ideia de “eu” machucado na vida, ou seja, um círculo vicioso é criado: o falso “eu” (chamo de eu inferior) nasce da dor e precisa gerar dor para continuar sobrevivendo.
Podemos perguntar: seria possível educar esse eu inferior ou ensiná-lo a se mover em direção à luz? Porque se ele é escuridão e a luz dissolve a escuridão, a reeducação do eu inferior seria colocá-lo no caminho da sua própria dissolução. Mas para isso acontecer, se faz necessário um eu consciente capaz de estar no comando da situação e reeducar esses aspectos em você que andam na contramão do amor e da felicidade.
Certa vez eu li uma história que falava de um homem que tinha acabado de chegar ao paraíso e estava cansado porque havia feito uma longa jornada. Assim que ele chegou, encontrou uma árvore e se pôs a dormir embaixo dela. Era uma árvore de realização dos desejos. O homem dormiu profundamente. Quando acordou, ele sentiu fome.

Então pensou: “Bem que poderia aparecer aqui um prato daquela iguaria que eu tanto gosto”. Do nada, o prato apareceu. Ele comeu e se satisfez. Então, ele pensou: “Estou com sede. Bem que poderia aparecer uma água fresquinha para eu tomar”. Do nada, a água fresquinha apareceu.

O fortalecimento da vontade para a cura dos vícios

“É por isso que o fortalecimento da vontade através de uma austeridade inteligente é absolutamente fundamental. É uma forma de ampliar o poder da vontade. É uma maneira de retomar a condução do seu veículo.”
Tendo saciado a fome e a sede, ele pôde finalmente se perguntar de onde vinha tudo aquilo: “Será que tem espíritos aqui?” Então, espíritos apareceram. “Será que eles são do mal, cruéis?” Então, os espíritos começaram a aterrorizá-lo. “Será que vão me matar?” E os espíritos mataram-no. Essa é uma bela história que descreve o poder do pensamento.

Aquilo que você pensa, você cria. A mente é a árvore de realização dos desejos. A questão é: quem em você está pensando? Quem em você está precisando fugir da vida?
Os vícios são amortecedores que estão a serviço de evitar que você sinta dor e isso precisa ser atravessado. Você precisa resgatar o seu poder, precisa se sentir na condução do seu veículo. Do contrário, você jamais vai ter confiança em si mesmo. Se você não confia na sua capacidade, jamais vai se libertar. É por isso que o fortalecimento da vontade através de uma austeridade inteligente é absolutamente fundamental.

É uma forma de ampliar o poder da vontade. É uma maneira de retomar a condução do seu veículo. Quem manda no seu corpo? Sua língua? Seu estômago? São os impulsos inconscientes que comandam seu corpo? A inveja, o ciúmes, a possessividade, a gula, o medo, a vingança?
Eu uso a palavra “inteligente” intencionalmente pois a austeridade precisa nascer da compreensão. Você só vai se propor a fazer aquilo que você está compreendendo. Uma austeridade que você não esteja compreendendo não tem sentido. Por exemplo, se você identificou que está usando chocolate para fugir de algo, você tem de enxergar do que é que você está fugindo para que você possa se libertar e seguir adiante. Para se libertar do medo de fantasma, você precisa olhar o fantasma de frente até perceber que ele não tem poder sobre você.

A austeridade na cura dos vícios

A austeridade pode ser feita de diferentes maneiras, mas sempre com o objetivo de fortalecer a vontade. Muitas vezes você precisa resgatar essa força de vontade que está direcionada de maneira imprópria. A energia da vontade é que move a compulsão e essa energia da vontade precisa ser resgatada.
Para isso, você vai ter de ter a firmeza de dizer: “Não vou dar chocolate para esse viciado em chocolate dentro de mim, não vou dar pornografia para esse viciado em pornografia dentro de mim, não vou dar drogas para esse viciado em drogas dentro de mim”. Em algum momento, você terá que ter a coragem de dizer: “Chega! Não alimento mais esse viciado dentro de mim”. E, então, esteja pronto para olhar aquilo que está por trás desse vício, desse amortecimento.

Você estará livre quando puder comer chocolate sem se perder nele porque o vício não manda mais em você.
Essa é uma linha de austeridade, que é se libertar dos amortecedores. Outra linha é fortalecer a vontade através da disciplina. Embora a remoção dos amortecedores envolva disciplina, o foco principal está na batalha contra o desejo. Na outra linha, o foco é a disciplina de, por exemplo, se sentar durante um período no mesmo horário do dia para meditar.
No seu caso em particular, o que você pode fazer para fortalecer sua vontade? É importante saber que precisa de uma vontade de titânio para reeducar o eu inferior e completar a meta de acordar e sustentar esse estado de despertar.

Você precisa de vontade para renovar os votos a cada instante.
A austeridade inteligente é sinônimo de renúncia e desapego. Para ajudá-lo nesse exercício, trago um outro ponto, que é o silêncio. Independentemente da austeridade que você esteja fazendo, precisamos de recolhimento, de mais silêncio, pois é o silêncio que possibilita o aprofundamento. Andando na rua, trabalhando, passeando, dê o seu melhor para estar presente na condução do seu veículo.

Assim, você vai redirecionando os vetores da sua força de vontade e redobrando a confiança no seu próprio poder de direcionar sua vida para a autorrealização.

#gratidão #gratoportudo


Pela Redação do Grato Por Tudo, com informações do Sri Prem Baba. Foto 500px.

Comentários

comments


INSTAGRAM
@gratoportudo